WhatsApp alcança 2 bilhões de pessoas em todo o mundo

a56dff4d-ab5f-404f-f782-19155296eb42.jpg
Alexa, da Amazon, deve manter liderança no mercado de assistentes pessoais
12 de fevereiro de 2020
image001.jpg
Gisele Bündchen vem ao Brasil participar de evento sobre tecnologia
13 de fevereiro de 2020
tecnologia-whatsapp-20181010-0001.jpg

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (12) que o WhatsApp atingiu a marca dos 2 bilhões de usuários. Lançado em 2009, o aplicativo é o segundo da companhia a alcançar o feito – a plataforma criada por Mark Zuckerberg fez o mesmo em 2017; já o Instagram, de propriedade da mesma empresa, contabiliza 1,1 bilhão. A conquista acontece pouco menos de três anos após a barreira do primeiro bilhão ser superada, e também representa um crescimento impressionante de 500 milhões de novos usuários em um curto espaço de tempo.

Na postagem onde comemora o marco, a empresa reafirmou a necessidade de trabalhar por uma criptografia forte para proteger a privacidade de tantos usuários. “Sabemos que quanto mais nos conectamos, mais precisamos nos proteger”, afirmou o WhatsApp, por meio do comunicado, acrescentando que “todas as mensagens enviadas pelo aplicativo são protegidas por criptografia de ponta a ponta, que atua como um bloqueio digital (…), ajudando a proteger contra hackers e criminosos”.

Na semana passada, as organizações de proteção à infância de um dezena de países pediram ao Facebook para interromper seus planos de fortalecer a criptografia em suas plataformas on-line, alegando que permitiria que potenciais predadores agissem livremente. O tipo de criptografia que o WhatsApp usa impede que as forças de segurança acessem os dados dos usuários em muitos casos, mesmo com ordem judicial.

Confira os produtos da Etiquetaria Paulista!

Acesse:

Os comentários estão encerrados.